quinta-feira, 13 de novembro de 2014

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Lançamento | Supervarejo - uma abordagem prática sobre os mercados de consumo


PRIMEIRA MÃO | O Blog Mídia&Consumo recebeu, em primeira mão, a capa do novo livro dos professores Achiles Junior e Sergio Centa. O "Supervarejo" será lançado em breve pela Editora Intersaberes em todo o Brasil. Promessa de ótimo conteúdo e excelente fonte de consulta para estudantes e profissionais. Aguardemos!

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Curso | Marketing Digital

Quando voltei do Curso de Marketing Digital que fiz em Harvard, muitos amigos, alunos e clientes pediram para que eu compartilhasse um pouco do conteúdo que tive acesso lá. Então, estou colocando isso em prática através desse Curso de Marketing Digital. Se você tem interesse, faça sua pré-reserva, sem compromisso. Se conhece alguém que pode se interessar, compartilhe! 

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Marketing Esportivo | US Soccer dá aula de mobilização nas redes sociais



A Associação Americana de Futebol (US Soccer) tem realizado diversas ações nas redes sociais mobilizando os americanos em torno da seleção de futebol (soccer) na Copa do Mundo 2014.



Em uma de suas excelentes iniciativas, disponibilizou, via Twitter, um formulário assinado pelo técnico Klinsmann para que os americanos pedissem dispensa aos seus chefes para apoiar a seleção contra a Alemanha, na última rodada da primeira fase da Copa do Mundo 2014.


A repercussão foi incrível e até o governador do estado de Nova Iorque respondeu, liberando os funcionários do estado para assistir o jogo.
Muitos torcedores postaram sua cartas assinadas, mas alguns não tiveram muita sorte! rsrs

Os americanos realmente entendem muito de marketing esportivo e mobilização em redes sociais.

Carta de apoio do governado de Nova Iorque, em resposta ao pedido do técnico Klinsmann.



sexta-feira, 16 de maio de 2014

Artigo | Internet e Educação


Compartilhamento de conteúdos é a mais recente contribuição da Internet para o aprendizado 

(Por Nathalia Conte)

Qualquer estudante com acesso às ferramentas básicas de educação pode afirmar a importância dos meios digitais em sua rotina de estudos. Diferentes pesquisas realizadas mundo afora também são capazes de comprovar o advento da Internet e de seus multimeios no que diz respeito ao desenvolvimento e aperfeiçoamento da aprendizagem nos mais diferentes âmbitos.

Além do acesso aos mais diversos conteúdos ligados a imensuráveis temas, a Internet possibilita que os estudantes tenham contato com um universo de possibilidades que jamais seria conhecido por eles se não fossem os meios digitais. A grande revolução deste milênio, porém, não diz respeito ao acesso a conteúdos – que já vem sendo verificado há uma quantia significativa de anos – mas principalmente à produção e ao compartilhamento desses conteúdos pelos próprios indivíduos. E sai na frente quem percebe e alavanca essa tendência de compartilhamento de conteúdos tão presente na geração atual – da Educação Infantil ao Ensino Superior. 

Um grande exemplo é o Scribd, uma plataforma de compartilhamento de documentos criada por norte-americanos em 2006. No site circulam livros eletrônicos, trabalhos de pesquisa, apresentações de slides e arquivos relacionados. Tudo compartilhado por e para usuários. Dados do próprio site indicam que estão disponíveis mais de 300.000 livros, 40.000.000 de arquivos, incluindo livros e documentos, com 80.000.000 de leitores mensais, presentes em mais de 100 países.

No Brasil, o portal Passei Direto é um desses cases que souberam aproveitar o atual momento da relação entre a sociedade, os meios digitais e a educação. Conhecida como “a rede social acadêmica do Brasil”, a Passei Direto foi criada por estudantes universitários que perceberam a importância da difusão de conteúdos dos próprios alunos e para os próprios alunos. Ao realizar cadastro no site, o usuário tem acesso a conteúdos das principais universidades brasileiras disponibilizados por acadêmicos e professores. De listas de exercícios a cópias de textos, passando por provas e trabalhos, o internauta aumenta suas possibilidades de conhecimento. Destaque para as amplas possibilidades de interação e contato com alunos de diferentes universidades do país, o que aumenta, inclusive, as chances de networking do acadêmico.


Com sucesso verificado, o portal Passei Direto já está presente em todas as universidades brasileiras, conta com mais de 1.500.000 alunos cadastrados e possui versões para tablets e smartphones, comprovando a eficiência dos meios digitais nos mais diferentes processos de aprendizagem. 

Nathalia Conte é estudante de jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie, ama escrever desde os 12 anos, quando criou um blog e lá colocava os seus pensamentos. O blog acabou, mas a sua paixão por escrever não.

sexta-feira, 25 de abril de 2014

A TV cada vez mais social

Interessante pesquisa da eCGlobal mostra como as redes sociais estão mudando a forma dos telespectadores assistirem televisão. Confira:


quinta-feira, 20 de março de 2014

Marketing Digital em Harvard (parte 1)


Alguns amigos pediram e resolvi compartilhar um pouco da minha experiência no Curso "Digital Marketing: Social Media and Online Strategies" que estou fazendo na Universidade de Harvard, nos EUA.
É um curso intensivo, com aulas das 09:00 às 17:00, incluindo "working lunch", com almoço para discussão em equipes. E, sem dúvidas, essa é uma das etapas mais produtivas de um curso como esse. A troca de experiências com estudantes/profissionais de alto nível de várias partes do mundo é realmente singular. Nossa turma tem pessoas da Rússia (duas), da Australia, do Mexico, Italia, Emirados Árabes, Equador, Espanha, além de diversos estados americanos.

Fachada do prédio onde aluguei um quarto em Cambridge. 

Ainda antes de falar sobre o conteúdo do curso, preciso dizer que o "clima" que cerca este lugar é realmente mágico. Harvard é a mais antiga Universidade americana e considerada, em vários rankings, a melhor universidade do mundo. Só de visitar os prédios e andar pelo campus você já sente o peso dessa história. Para quem gosta da área acadêmica, como eu, passear por aqui é melhor do que a Disney (é sério).

O campus principal fica em Cambridge, na região de Boston, onde também ficam algumas escolas, como a Harvard Business School. Cambridge é uma cidade incrível, que respira educação, cheia de estudantes, professores e pesquisadores de todo o mundo. Como se não bastasse ser a casa de Harvard, a região também abriga o MIT -Massachusetts Institute Technology, considerada a segunda melhor universidade do mundo. 

Mais do que palavras, as imagens descrevem melhor esse lugar incrível:


Estátua de John Harvard; dizem que colocar a mão no pé dele traz sorte.
Não acredito nessas "crendices", mas...

Rua de Cambridge.

Pub onde foi filmada a cena de início do filme "A Rede Social"/ The Social Network, onde Mark Zukerberg (que estudava em Harvard) levou um fora da namorada.




Livraria da Harvard Coop

Biblioteca principal de Harvard; a segunda maior dos EUA.

Refeitório / pub da Harvard Law School




sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Não censure, be Happy



Um vídeo com a versão da música Happy, de Pharrell Williams, gravado nas ruas de Curitiba, rapidamente alcançou milhares de visualizações e elogios nas redes sociais no final de fevereiro. O vídeo, na verdade, faz parte de um projeto maior, chamado "We Are Happy From", que é uma espécie de tributo à nova música (viral? guerrilha?), com gravações em centenas de cidades do mundo, cujo clipe original tem 24 horas de duração.

O rápido sucesso, entretanto, fez a gravadora Som Livre, detentora dos "direitos autorais" da música no Brasil, solicitar a exclusão do vídeo no YouTube e suscitou uma (já recorrente) discussão a respeito da legislação de direitos autorais na era digital.

Vivemos na era do compartilhamento, da "cauda longa", do Free (leia Chris Anderson), a "cibercultura" (tão discutida por Pierre Levy) onde as informações são cada vez mais compartilhadas livremente em rede, entre pessoas, sem intermediários.

A Som Livre está no seu direito. O problema é que é um direito desatualizado em relação à sociedade conectada. Um direito do tempo em que a indústria cultural de massa dominava o poder da informação, impondo hits e decidindo o que seria moda ou não (em todos os sentidos). Esse sistema está ruindo e editoras de jornais e revistas, emissoras de rádio e TV e gravadoras e distribuidoras estão sentindo isso na pele. Ocorre que essa é uma mudança da sociedade, sem volta. Quem não se adaptar, não sobreviverá (lembra da Blockbuster?).

Nos meus estudos do Direito e a Era Digital tenho percebido que rumamos para sistemas como Creative Commons (saiba mais aqui: http://creativecommons.org.br/), onde os direitos de autor são preservados, mas a ideia não é restringir, é compartilhar. 
Andar na contra-mão, meus amigos, é como decidir por um suicídio lento e doloroso.

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Aula de Mídia | 01

   

Material de apoio para as aulas presenciais. [Aula 01 de Mídia]

Marketing Digital | A carreira mais promissora para 2014


Uma pesquisa realizada pela respeitada consultoria Michael Page apontou "Marketing Digital" como a carreira mais promissora para o ano de 2014. Publicada pela Yahoo Finanças, a pesquisa mostra o que muitos já sabem: o futuro é digital, em todos os segmentos da vida (pessoal e profissional), e todos os perfis de empresas precisam profissionais (internamente ou terceirizados) que dominem este ambiente repleto de oportunidades e ameaças.

Um dos pontos mais importantes destacados pela pesquisa refere-se à falta de mão-de-obra qualificada para a enorme demanda atual. De acordo com a matéria: "A carência de qualificação na área de marketing digital preocupa agências e empresas de quase todos os estados do Brasil que há meses procuram profissionais com o perfil desejado para preencher vagas abertas. Guga Alves, coordenador de projetos digitais da Agência Trii e idealizador do site Tudo Para WordPress, convive com esse problema de perto. Por trabalhar na coordenação de marketing digital, ele precisa muitas vezes ajudar a selecionar os profissionais para as empresas clientes".

Salários chegam a 15 mil reais por mês

Ainda de acordo com a pesquisa, "a falta de profissionais qualificados gerou disputa no mercado e, de acordo com a empresa de consultoria Michael Page, a busca por um gerente de marketing digital cresceu de 30% a 40% nos últimos dois anos. Além disso, o aumento das exigências e da responsabilidade fez com que o salário dobrasse. Em 2009, um gerente da área ganhava na faixa de R$ 7 mil a R$ 8 mil mensais. No último semestre de 2013 a remuneração já estava em torno de R$ 14 mil a R$ 15 mil por mês".
Assim, percebe-se que a qualificação através de muita leitura, cursos específicos e uma sólida formação acadêmica podem fazer toda a diferença no currículo, abrindo portas para uma carreira cada vez mais valorizada.
Por isso, fazer uma Pós-Graduação costuma ser um ótimo investimento. Acreditando nisso, sou coordenador do MBA MARKETING ESTRATÉGICO COM ÊNFASE EM COMUNICAÇÃO DIGITAL da UniBrasil, em Curitiba. Este é um programa de pós-graduação totalmente alinhado às tendências do marketing e da comunicação, preparando profissionais para um mercado que deve crescer muito nos próximos anos. Para mais informações sobre este MBA, clique aqui ou fique à vontade para me mandar um e-mail: ney@queirozazevedo.com.br 

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Aulas | A fascinante arte de COMPARTILHAR informação e conhecimento

Mais de 22 mil visualizações nas aulas publicadas aqui no blog em 2013! 

Desde que criei este blog em 2008 meu objetivo sempre foi de trocar informações e compartilhar conteúdo com alunos, ex-alunos e interessados nos temas relacionados à mídia, comunicação, marketing digital e sociedade da informação e consumo.

No ano de 2013 minhas aulas da Pós e das turmas de Mídia, Legislação Publicitária e Direito na Era Digital alcançaram muitos alunos além da sala de aula com o apoio do Blog.
As mais de 22 mil visualizações das aulas no Slideshare no ano passado me deixaram muito feliz. Não apenas pelos números, que posicionaram meu conteúdo entre os 2% mais visualizados, mas por poder colocar em prática este desejo de COMPARTILHAR informação. 

Aqui, o link para os resultados do meu Slideshare 2013, cuja origem de tráfego é totalmente direcionada daqui do Blog Mídia&Consumo.
Obrigado aos envolvidos! :)


domingo, 2 de fevereiro de 2014

Lançamento | iTrends, análise de tendências


Será lançado no dia 12 de março de 2014, em Curitiba, o livro iTrends escrito pelos professores Achiles Júnior e Marielle Rieping, que apresenta um panorama completo sobre as principais tendências e mercados em crescimento. 

Conforme atestam os autores, trata-se de "um material inovador, que envolve diversos negócios e suas abordagens estratégicas para com o cliente de cada segmento. Ainda, envolve a inovação como fator chave das novas tendências, uma vez que “(...) a inovação é algo muito mais de óptica do que de fibra óptica (...)”, afirma Walter Longo – VP de Estratégia e Inovação do Grupo Newcomm e CEO da Grey Brasil - , um dos maiores nomes (se não o maior) da área.  E é sob esta ótica, da inovação, de entender as principais tendências e os mercados em crescimento e em evidência, que desejamos que os leitores se engajem numa leitura prazerosa e tenham possíveis insights e adaptações para uma nova sociedade de consumo.

Nesta obra, você encontrará tendências, inovações e análises dos seguintes mercados:

- Mercado Esportivo

- Mercado Político
- Mercado Religioso
- Mercado de Moda

- Mercado Jurídico
- Mercado Digital
- Mercado de Luxo
- Mercado Educacional
- Mercado Cultural

E ainda, as principais tendências sobre:

- Ecomarketing
- Comportamento do Consumidor
- Branding
- Coolhunting



A obra passeia por vários universos e segmentos de mercado, e teve como maior objetivo buscar o direcionamento do pensamento mercadológico, com pesquisas e até mesmo com entrevistas com os maiores nomes das áreas correspondentes. No final dessa leitura será recomendado o twitter de alguns autores e consultores da área, para que o processo de aprendizado seja continuo. Aliás, o aprendizado é uma tendência e esperamos que este livro leve a você um novo aprendizado, um novo pensamento para uma nova era".

O lançamento acontecerá no dia 12 de março, em Curitiba.

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

O Consumo de Mídia na Era Digital

Muito se fala sobre o crescimento da internet, que os consumidores estão conectados, que as pessoas já não lêem jornais como antes e blá blá blá.
Afinal, o quanto a tecnologia (equipamentos + internet) está impactando o consumo de mídia? De que forma os meios de comunicação tradicionais estão sendo sendo afetados?

Para tentar explicar essa nova realidade, o Ibope Media publicou um infográfico com dados do consumo de mídia no Brasil e na América Latina.
Dados preciosos que ajudam a entender essas importantes transformações da mídia na era digital.


Fonte: http://www.ibope.com.br/pt-br/conhecimento/Infograficos/Paginas/Um-novo-cenario-para-o-consumo-de-midia.aspx

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Mercado Publicitário | Mídia brasileira mantém estabilidade

O mercado publicitário brasileiro continua crescendo e a divisão de investimentos por meios mantém a estabilidade registrada nos últimos semestres.
Os números publicados pelo Projeto Inter-Meios, ligado ao Meio e Mensagem, confirmam esse crescimento estável do mercado, conforme matéria reproduzida abaixo:


"Os investimentos em mídia alcançaram R$ 9 bilhões nos quatro primeiros meses do ano, valor 0,57% maior do que o registrado no ano passado, aponta o Projeto Inter-Meios. Os dados do acumulado apontam que o mercado se manteve estável e que não houve mudanças significativas no perfil verificado nos meses anteriores. Entre janeiro e abril de 2012, o acumulado foi de R$ 8,9 bilhões.

Os meios que registraram crescimento no período foram mídia exterior, com 9,9% (impulsionada, sobretudo, pelo setor de painéis, que cresceu 44,9%, e pelo mobiliário urbano que, com a volta dos abrigos de ônibus e relógios de rua na capital paulista, registrou alta de 26%). Na sequência das variações positivas vem rádio, com crescimento de 4,9% e televisão, com alta de 3,5%. Sofreram baixa nos investimentos publicitários o setor de guias e listas (-20,1%), internet, que não contabiliza redes sociais e ad search, (-13,08%), revistas (-12,76%), cinema (-11,4%) e televisão paga (-1,33%), que vinha até então mantendo variação positiva e se manteve com média acima de dois dígitos no ano passado.

A participação no bolo publicitário fica inalterada em relação ao primeiro trimestre e ao panorama histórico, com a TV aberta com absoluta liderança e 66,8% de share, seguida por jornais (11,4%), revistas (5,02%), internet (4,4%), rádio (4,16%), TV por assinatura (3,74%), mídia exterior (3,42%), guias e listas (0,69%) e cinema (0,27%).

O Projeto Inter-Meios é um relatório de investimento em mídia realizado pela PricewaterhouseCoopers com exclusividade para o Meio & Mensagem, que coordena a iniciativa. O relatório mede, mês a mês, os investimentos em veiculação feitos pelos anunciantes na mídia brasileira, a partir de informações dos próprios veículos. Os números completos podem ser acessados no site do Projeto Inter-Meios".


Fonte: Meio&Mensagem


segunda-feira, 22 de julho de 2013

Social Media Day Buenos Aires 2013


Estive no "Social Media Day Buenos Aires 2013", realizado dia 18 de julho/13, que é o evento mais importante sobre mídias sociais da Argentina.

Eu e a organizadora do evento, Adriana Bustamante.
Foi um dia movimentado, com palestras das 09:00 às 19:00 horas, com muita informação e ótimas abordagens sobre o que tem acontecido de mais relevante no mercado digital argentino e sulamericano.

Entre os palestrantes, destaco alguns:

Bruno Bonafide, Director Social Media da Ogilvy & Mather Argentina; 
Antón Chalbaud, CEO da FanMachine, ótimo aplicativo para redes sociais;
Roberto Igarza, Docente-investigador, professor de pós-graduação na área de comunicação interativa e digital nas mais importantes universidades argentinas e algumas da América do Sul; 
Pablo Mancini, jornalista, autor e professor.

Martin Biegun, da Woowup;
- Nicolás Lovagnini, da Topic Flower, aplicativo super criativo para mensuração e análise de resultados; 
Carolina Bertoni, do Google;

Maren Lau, do Twitter, que trouxe vários cases.
 Facundo Guzmán, do Facebook;
Além das palestras, o "networking" foi excelente, tanto com empresas e fornecedores de aplicativos, que muito nos interessa na Green Digital, como com professores da Universidad Abierta Interamericana (UAI), quando pudemos também falar de nossas atividades acadêmicas, especialmente do Projeto Comunicativos, da UniBrasil. Já acertamos algumas parcerias que certamente trarão excelentes resultados para professores e alunos dos cursos envolvidos. 
Espero voltar em 2014! :)

terça-feira, 18 de junho de 2013

A Revolução Social e as formigas com megafones


As manifestações que se espalham pelo Brasil são o puro reflexo da nova sociedade conectada.
80% dos manifestantes souberam dos protestos através das redes sociais. E é através das redes sociais que as milhões de pessoas que ficaram em casa ficam sabendo do que acontece.

Antes, a sociedade dependida do "plantão" da Globo para tomar conhecimento de manifestações populares. Hoje, os populares é quem divulgam as manifestações para uma audiência ainda maior do que a da Globo. Estamos vivendo a Revolução Social. Apesar de não ser noticiada pelos grandes canais de comunicação, a indignação do povo brasileiro saiu às ruas. Saiu do Facebook. Saiu do Twitter. Foi pras ruas e voltou pro Facebook. Voltou pro Twitter. A repercussão das passeatas ecoa através das mídias sociais em todo o país e em todo o mundo, mostrando a grandeza e a força de uma sociedade conectada.

Independente das questões políticas envolvidas, é claro que estamos vivenciando um novo momento no país. Um momento em que a voz das pessoas passa a ser ouvida em razão de uma verdadeira mobilização social, que só é possível por causa de uma nova "Mídia Social". Agora, mais do que nunca, está claro que as mídias sociais não são ferramentas de banalidades e futilidades. Quem não "tinha tempo" para redes sociais deve repensar suas prioridades. O mundo mudou, o Brasil está mudando e, como disse Chris Anderson, hoje as formigas tem megafones. 

quinta-feira, 6 de junho de 2013

O Pinguim de R$ 20 milhões | Ponto Frio dá aula de como usar as mídias sociais


O Pinguim é muito querido. Tem mais de 100.000 seguidores no Twitter e muito bom humor. O Pinguim vendeu mais de R$ 20 milhões em produtos do Ponto Frio em 2012. Esse personagem, criado para representar a loja de varejo no ambiente digital, é uma verdadeira aula de como as marcas podem (e devem) usar as mídias sociais para relacionamento e vendas.

Abaixo, matéria publicada pela Próxxima sobre o case do Pinguim apresentado no evento do IAB, em São Paulo:

"Nesta terça-feira, 14, durante evento realizado pelo IAB Brasil em São Paulo, uma das apresentações de destaque foi conduzida pela rede varejista Pontofrio. Na conferência, intitulada atendimento 2.0, a empresa fez uma análise do programa de relacionamento com o consumidor, trazendo números e repercussões do seu case de mais sucesso nas redes sociais: o Pinguim digital. A varejista criou um personagem fictício dentro do Facebook e Twitter para interagir com os internautas. “A ideia era responder absolutamente todas as mensagens que os clientes mandavam. Desde sugestões, até pedidos de desconto”, contou Guilherme Perez, coordenador de marketing da empresa.

Os resultados foram excelentes. Em 2012, a média de respostas do “Pinguim” foi de seis mil mensagens por mês. Além disso, no ano passado, somente com social a companhia conseguiu otimizar as vendas e atingir a marca de R$ 20 milhões em produtos vendidos. Para Perez, a mudança de conceito quanto ao atendimento ao consumidor foi determinante para o resultado. Ele conta que o treinamento fornecido aos funcionários do Pontofrio que atendem o público foi reformulado. “Hoje nós padronizamos o treinamento, todos agora sabem lidar com clientes de diferentes plataformas, isso fez com que nossa comunicação se torna-se mais dinâmica”, comentou.


Na apresentação, o coordenador de marketing contou que segredo do Pinguim digital é simplificar a conversa entre a marca e o consumidor. Para isso, o Pontofrio utiliza acontecimentos reais e fatos relevantes, como novelas, eleições, conclave para eleger novo Papa, ou outros fatores curiosos, para estender as promoções e o diálogo com os clientes.


“Cada postagem que fazemos é só o começo da ação, via social. Depois de postar mantemos uma comunicação extremamente efetiva com os clientes”, explicou."

sábado, 23 de março de 2013

A Mídia Social e a Democratização da Comunicação




Os meios tradicionais de comunicação (TV, rádio, jornal e revista) sempre foram ferramentas de comunicação de massa. Mídias caras para grandes audiências. Nesse modelo, grandes anunciantes sempre alcançaram seus resultados falando de maneira padronizada para todos, enquanto empresas sem grandes orçamentos de comunicação ficavam marginalizadas, esquecidas por veículos e por agências de propaganda, envolvidas com grandes contas e suas comissões e BVs.

O século 21 chegou e os tempos da comunicação também mudaram. A Cauda Longa, de Chris Anderson, está aí e vivemos um tempo de proliferação de produtos e diversificação da mídia. 

As redes sociais permitem que marcas e consumidores convivam diariamente num ambiente único, gerando uma série oportunidades e também de riscos. Algumas empresas, pela primeira vez, podem expor seus produtos e serviços a grandes públicos.

Convencidos da necessidade de "marcar presença" neste ambiente, muitos pequenos e médios empresários costumam se frustrar em pouco tempo por causa de um erro muito comum: deixar a comunicação digital por conta de alguém que não é da área, o que acaba dando mais dor de cabeça do que resultados.

O caminho, então, seria buscar uma boa agência especializada, mas este caminho não costuma ser assim tão simples. Existem ótimas agências digitais no Brasil, mas os valores cobrados afastam pequenos empresários, repetindo o velho modelo do passado.

Existem, é claro, muitas pequenas agências, e muitas delas não estão preparadas para atender às expectativas de um cliente ansioso pelas oportunidades do “mercado digital”. As PMEs estão cada vez mais estruturadas, com excelentes planejamentos estratégicos, buscando excelência de gestão e buscam parceiros à altura.

As pequenas e médias empresas precisam um modelo próprio de comunicação digital. Essas PMEs merecem atendimento profissional e serviços de excelência, mas sem os altos custos do modelo das agências tradicionais.

Um bom planejamento de comunicação digital das pequenas e médias empresas representa um amadurecimento, não apenas do mercado de comunicação, mas das relações comerciais. Empresas que atuam assertivamente no ambiente digital não apenas geram mais lucros, mas, acima de tudo, beneficiam o consumidor e contribuem para a construção de uma sociedade cada vez mais forte e democrática. 

terça-feira, 19 de março de 2013

Tendências: 100 coisas para estar atento em 2013


Para quem não viu, segue estudo anual da JWT com as principais tendências para 2013! Vale a leitura!

domingo, 17 de março de 2013

MBA | Mídia e Novas Mídias


Mídia e novas mídias 2013 1e2 from Ney Azevedo

Para os alunos do MBA Marketing, segue o material de base utilizado nas primeiras aulas e a Atividade de início para o trabalho final do módulo:



sexta-feira, 15 de março de 2013

O Consumidor, a Informação e as Cidades

Paris e a clássica Mídia Exterior.
Exemplo de harmonia em uma das cidades mais lindas do mundo.
O dia 15 de março é uma das datas mais importantes que se podem comemorar na democracia brasileira: é o Dia do Consumidor. O Brasil tem avançado muito desde a publicação do Código de Defesa do Consumidor (CDC) em 1990 e um dos pontos mais importantes do amadurecimento da democracia reside na maior conscientização dos cidadãos acerca de seus direitos. 

Uma área, entretanto, ainda é pouco valorizada: a informação, que é um dos princípios fundamentais previstos no CDC. Nos últimos anos temos visto muitas cidades preocupadas com a regulamentação da mídia exterior e esta preocupação é muito positiva. Uma cidade que não normatiza a publicidade ao ar livre é conivente com os abusos e permite que a publicidade irregular (faixas, placas, muros pintados, etc) poluam visualmente, atrapalhando o cidadão e a publicidade regular (outdoor, frontlights, etc) que gera empregos, paga impostos e ajuda a movimentar a economia, como importante meio de comunicação, indispensável ao mercado publicitário saudável.

Cidades que, incapazes de organizar seu espaço público, simplesmente proíbem todo tipo de mídia exterior cometem vários erros, mas principalmente atentam contra um direito do cidadão: a INFORMAÇÃO! A mídia exterior é o meio de comunicação mais democrático, é gratuita e não exige nenhum equipamento para ser acessado.


Em todo o mundo a mídia externa é utilizada para divulgar campanhas sociais, informações sobre campanhas de vacinação e outros avisos que chegam diretamente ao público.
Sob o ponto de vista comercial, as campanhas publicitárias também possuem grande relevância, pois é através delas que os consumidores tem acesso a lançamentos de novos produtos, inaugurações de estabelecimentos, estreias de peças de teatro, filmes e atividades culturais, além de ficarem sabendo sobre promoções e liquidações de preços. Além de informar o público, a publicidade externa ainda contribui para a concorrência leal entre os anunciantes, beneficiando o consumidor.

Sem a mídia exterior nas cidades teríamos espaços frios, "visualmente silenciosos" e democraticamente falidos. O consumidor tem o DIREITO de acessar as informações relevantes para sua vida de maneira fácil, objetiva e de graça! 

Percebe-se, portanto, que a regulamentação da publicidade ao ar livre é extremamente importante, mas a proibição radical é maléfica. Faz mal para a cidade, faz mal para o consumidor e é uma afronta para a democracia.

Cidades inteligentes organizam seus espaços públicos, incentivam formas modernas e seguras de mídia exterior e, acima de tudo, valorizam o cidadão consumidor, proporcionando a ele um dos bens mais valiosos: a INFORMAÇÃO.

terça-feira, 5 de março de 2013

Repensando o Marketing e a Comunicação


A coluna do publicitário Nizan Guanaes na Folha de São Paulo desta terça-feira, 05/03/13, nos traz uma interessante reflexão sobre as mudanças que vem ocorrendo na mídia, na tecnologia e que repercutem no comportamento do consumidor e, por consequência, no Marketing e na Comunicação.

Reproduzo, abaixo, o texto, cujo link original está AQUI.


"Marketing é comunicação, e a revolução da comunicação obviamente é a revolução do marketing.

É uma revolução de várias faces e vertentes: a comunicação entre as marcas e seus públicos é agora um diálogo aberto com vários protagonistas.
Não adianta mais ter um roteiro pronto, por melhor que sejam as falas. É preciso estar pronto para o diálogo, a exposição e o escrutínio permanentes de um público que cada vez mais tem mais informação sobre você, seus fornecedores, seus concorrentes, seus preços, suas práticas comerciais, suas relações com a comunidade.

Logo veremos o dia, e ele parece cada vez mais próximo, em que um consumidor, antes de qualquer decisão de consumo, abra uma pequena tela com todos os dados relevantes sobre aquele produto, a sua marca e o seu fabricante.
Aplicativos para consumidores conscientes crescerão como crescem o consumo consciente e a indústria de aplicativos.

Por isso a marca será cada vez mais coisas. Ou melhor, a marca será cada vez mais valores.
E o marketing cada vez mais será focado nesses valores, já que eles serão cada vez mais relevantes na hora da venda. E da compra.
É o que nos Estados Unidos está se chamando de "purpose marketing", que leva ao consumidor não só as mensagens da marca, mas, principalmente, os valores envolvidos na sua produção.
E, nesse mercado de valores, todos saem ganhando.

Nesta época em que se fala mais da experiência de compra e menos do ato de compra, o marketing de valores estabelece conexões com o consumidor que vão muito além da relação com o produto que ele está adquirindo.
A conexão se expande para os valores da marca e da empresa que a produz, a forma com que a organização lida com o ambiente, as comunidades, seus colaboradores, fornecedores, o país, o planeta.

A cobertura do marketing nesse novo prisma é ampliada exponencialmente para tratar de elementos que antes não tinham essa relevância.
Há uma lógica cristalina nisso tudo: a relação da empresa e da marca com seus clientes e consumidores será muito mais forte se, além da relação comercial via produto, os dois lados estabelecerem uma relação afetiva e cidadã via valores compartilhados.
Sempre existirão céticos e cínicos a dizer que isso não passa de "marquetagem" para vender produto.
Uma resposta cética e cínica é que no mundo da informação isso só pode ser feito se for genuíno e concreto, pois o risco e o custo de ser desmascarado são altos demais para corrê-los.

Hoje ou você coloca os valores sociais e a sustentabilidade dentro do seu modelo de negócios ou você estará fora da onda e corre risco de ficar fora do mercado.
A mensagem do marketing não é mais "compre", mas é "compre de maneira responsável". Compre com sua carteira e com seus valores.
Esse novo marketing afinal acessa, libera e conduz o potencial social natural que existe em toda empresa.
Em vez de buscar apenas o lucro líquido, as empresas precisam buscar também o orgulho líquido.

Se, depois do lucro líquido, não sobrar orgulho do que está sendo feito, um dia provavelmente não vai sobrar nada.
E criar orgulho é muito mais difícil do que criar lucro. É um grande desafio que deve servir como combustível para impulsionar empresas e inovações.
Não é mais sustentável fazer lucro sem cuidar da cadeia produtiva. É preciso dar assistência e horizonte aos colaboradores, ser rigoroso com fornecedores e generoso com as comunidades envolvidas.

No mundo da informação e do consumidor informado, orgulho líquido estará cada vez mais ligado ao lucro líquido.
A melhor forma de competir em mercados globais cada vez mais disputados é ter o melhor lucro dentro das melhores práticas. Lucro e valores podem ter sido inimigos eventuais no passado, mas são grandes aliados neste futuro já presente.
Siga o dinheiro, mas o dinheiro orgulhoso. Diante de novos projetos agora é preciso fazer duas perguntas: Isso dará dinheiro? Isso dará orgulho?"

E surge uma questão importante:
"De que forma essa revolução impacta a Atividade Publicitária? O que muda nas campanhas?"

segunda-feira, 4 de março de 2013

Pós-Graduação | MBA Marketing Político


Quem se interessa por marketing Político e organização de campanhas eleitorais agora tem uma oportunidade única para se especializar na área. O MBA à distância do Grupo Uninter oferece conteúdo específico sobre os temas relacionados a marketing político e eleitoral, sob a coordenação do professor Achiles Júnior, uma das principais autoridades da área no Brasil.

Para um contato direto com o coordenador: twitter.com/achilesjunior
#recomendamos

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Mídia Impressa | O Futuro do Jornal

A tecnologia e especialmente as mídias sociais estão provocando fortes impactos nos meios de comunicação. O meio jornal, sem dúvida alguma, é um dos mais afetados.



Não bastasse a ameaça tecnológica, que possibilita o acesso à informação de maneira imediata, através de notebooks, tablets, smartphones e outros devices, os jornais ainda possuem o aspecto ambiental/ecológico como inimigo. O consumo de papel é cada vez mais evitado em todo o mundo.

Ainda pesam contra os tradicionais jornais brasileiros a onda de jornais populares, como o Super Notícia, que tem demonstrado grande crescimento de faturamento e circulação, e, por consequência, roubado leitores e anunciantes.


Todos estes fatores fazem com que o Meio Jornal se repense radicalmente, buscando novas formas e modelos para buscar seu espaço nesta era da informação instantânea e digital.

A grande maioria dos jornais já migrou para o digital, com versões para celulares e tablets. Outros encerraram suas versões impressas e continuam saudáveis.

E, como último ingrediente, não se pode esquecer dos jornais de distribuição gratuita, a exemplo do Metro, que completam um cenário de desafios e incertezas para a mídia impressa.

A única certeza é de que a s coisas nunca mais serão as mesmas. E aqueles modelos que funcionaram por décadas, talvez não funcionem mais.

domingo, 26 de agosto de 2012

Eventos | Seminário de Marketing 2.0: Content, Mobile & Games


Estão abertas as inscrições para a terceira edição do Seminário Marketing 2.0, que será realizado nos dias 31 de agosto e 1º de setembro, em Curitiba – PR. Entre os nomes confirmados estão a professora Martha Gabriel, também curadora do evento, o francês Marc Gobé, autor do best seller Emotional Branding; o empresário Mitikazu Lisboa, da bem sucedida empresa de games Hive, e vários outros que abordarão três tendências mundiais do marketing - Content, Mobile e Games. As atividades serão no auditório da FIEP – Federação das Indústrias do Paraná.  As inscrições podem ser realizadas pelo site www.mkt20.com.br.
Para encerrar o Seminário, o especialista em marcas Marc Gobé, com o oferecimento da Locaweb, falará sobre "Emotional Branding", tema do seu best seller traduzido em 17 idiomas. Francês, radicado nos Estados Unidos, Gobé iniciou um dos movimentos mais poderosos no marketing moderno, trazendo o foco sobre as emoções dos consumidores como o maior aliado das marcas, quando se trata de estratégias de branding.
O Seminário Marketing 2.0 é promovido pela Universidade Federal do Paraná/CEPPAD, organizado pela Academia de Marketing e conta com apoio da Green Digital e da Outdoormídia e outros importantes veículos e agências. O público alvo é formado por profissionais de marketing e TI, executivos, publicitários, professores, estudantes de graduação e pós-graduação, além de interessados em aprofundar conhecimento sobre estratégias de conteúdo, convergência mobile e o mundo dos games. As inscrições custam a partir de R$ 350,00 por pessoa. Estudantes, professores e idosos pagam meia-entrada.


Evento:
Seminário Marketing 2.0 – Content, Mobile & Games
Data: 31/08 (sexta) e 01/09 (sábado)
Horário: Das 18h às 22h30 (Dia 31) e das 9h às 12h30 e 14h às 18h40 (Dia 1º)
Inscrições: R$ 350,00 (até 10/08). R$ 400,00 (até 20/08) e R$ 425,00 (até 28/08). Estudantes, professores e idosos pagam meia-entrada.
Inscrições: www.mkt20.com.br

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

A Mídia Out-of-Home em Debate


Até pouco tempo, pensar em mídia exterior era sinônimo de Outdoor e alguns outros painéis, especialmente aqui no Brasil. Hoje, as opções de mídia "fora de casa" se multiplicaram e o segmento da Mídia Out-of-Home, ou OOH, se fortalece a cada dia.

Nesse cenário, algumas questões precisam ser pensadas:


1. De acordo com a “Lei Cidade Limpa”, de São Paulo, a publicidade em espaços públicos será permitida apenas através de Licitação, em mobiliário urbano. 
Seria esta uma solução equilibrada ou que induz ao monopólio?

2. A imposição de limites à Mídia Exterior é uma tendência em diversas cidades do mundo e do Brasil. Vocês acreditam que essas medidas são positivas para:
-A cidade?
-O consumidor?
-O anunciante?

3. Quais os principais fatores que justificam o forte crescimento da Mídia Digital Out-of-Home no Brasil nos últimos anos?

4. Nesse cenário de diversificação da Mídia e avanço tecnológico (QR Codes, interatividade, etc) quais seriam as tendências na Mídia Exterior?

quarta-feira, 4 de julho de 2012

O Marketing, como conhecemos, está morto!

Temos discutido, tanto com clientes como no ambiente acadêmico, as mudanças da tecnologia, a revolução digital e suas consequências para a sociedade e para o marketing. Percebemos, nessas discussões, que muitos acreditam que o modelo tradicional de marketing está quebrado, a exemplo de Jim Stengel (www.jinstengel.com) que foi por muitos anos o líder na área de marketing da gigante Procter&Gamble.

Recentemente, vi uma interessante matéria no blog da Yow, abordando este tema, escrita por André Fernandes, que compartilho alguns trechos aqui:

"Os maiores executivos da propaganda e marketing do mundo estão repensando totalmente as bases do seu trabalho. Os relacionamentos digitais estão mudando a forma das empresas fazerem marketing.

Falando para uma audiência de líderes de negócios seniores no The IoD’s Annual Convention que aconteceu em Londres, Kevin Roberts, CEO da Saatchi & Saatchi Worldwide, clamou que no mundo louco de hoje a estratégia está morta, as grandes idéias estão mortas, a administração está morta e o marketing, como nós conhecemos, também está morto.

Roberts também disse que a era das “grandes idéias” acabou.
“A grande idéia está morta. Não há mais grandes idéias. Líderes criativos devem procurar por muitas e muitas pequenas idéias por aí. Pare de se bater procurando por uma grande idéia. Tenha muitas idéias e então, deixe as pessoas interagirem e alimentarem essas idéias e fazê-las crescer”.
“Líderes precisam se tornar pensadores emocionais. A diferença entre o pensamento racional e o emocional é que o pensamento racional te leva a conclusões e a reuniões e mais reuniões. O pensamento emocional leva você a ação.
“Há três segredos para o pensamento emocional – mistério, sensibilidade e intimidade.É sobre o contar estórias. As marcas precisam contar estórias em seus websites e em sua embalagem e por aí vai. Tenha certeza que sua marca e empresa tem um cheiro, tem um som, e possui um toque e uma intimidade com as pessoas. Pense em como construir empatia. São as pequenas coisas que contam e como os consumidores se sentem com relação a sua marca que faz a diferença hoje.

“O Marketing está morto. 

O papel do marketing mudou. Não há nada novo mais. Se os marketeiros estão ouvindo algo que está acontecendo, bom isso já é passado no mundo de hoje. Quanto mais você se aprofunda em uma empresa mais você fica estúpido e distante das coisas novas. Velocidade é tudo hoje. O trabalho do marketing é criar movimento e inspirar as pessoas a se juntar a você.”
“Todos querem uma conversação. Eles querem inspiração. Inspire as pessoas com seu website. Não interrompa, mas interaja. Perguntar sobre o ROI hoje é uma pergunta errada. Você deveria se perguntar sobre Retorno sobre o Envolvimento.”


domingo, 17 de junho de 2012

Green Digital reforça equipe e amplia expansão


A Green Digital, que vem se destacando como uma das principais agências digitais de Curitiba, acaba de reforçar a equipe e confirmar seu crescimento a passos largos.
Entre as contratações está Raphael Basso, ex-TIM e Ambev, que assumiu como Atendimento da agência, que agora também conta com Daiane Kelen, que chega para reforçar a área de planejamento.

A publicitária Fernanda de Mello, que iniciou sua carreira no Grupo WPM na área digital da Centermídia, assumiu a Coordenação de Social Media, que agora também conta com Leandro Penia atuando ao lado da publicitária Francini Brito, especialista em Mídias Digitais (MBA pelo Ibpex),   como analistas de mídias sociais.
O mais recente integrante da equipe é o publicitário Valdomiro Júnior, ex-I-Chery, onde desempenhou a função de Analista de SEM e administrou contas de clientes como Coca-Cola Company e Jhonson & Jhonson (Listerine) e que chega para coordenar a área de SEM - Search Engine Marketing - Links Patrocinados.

De acordo com Ney Queiroz, Diretor Executivo do Grupo WPM e da Green, a ampliação qualificada da equipe acontece no momento em que a agência assume três novas contas e também confirma o amadurecimento do mercado e a cada vez maior percepção dos empresários sobre a necessidade de investimento na área digital.

SOBRE A GREEN

A Green Digital é uma empresa do Grupo WPM, formado também pelas empresas Outdoormídia e Centermídia e que atua no mercado de comunicação paranaense há mais de 33 anos.
A agência atua prestando serviços de gestão de marketing digital, incluindo redes sociais, SEO, blogs e mídia digital, entre outros.
Saiba mais aqui: www.greendigital.com.br